terça-feira, outubro 28

Cizax

expresso
inverso
alterado na voz
tua voz
ouço longe
me alucina
me envolve

corpo inalterado viaja ao teu abraço
reforça minhas palavras
encontra-te dentro do oceano
antes nosso do que deles
nosso oceano
nossas ondas que mata-nos conforme os dias
enfrento as ondas
são como horas que dizem o quanto estou perdida

perdemos
assumimos
outro dia
outra cama.

quinta-feira, setembro 4

vale de transição

estou te envolvendo num tom
as ondas de som enxergam meu peito e repulsam sobre ele
estou girando
a cidade me engoliu
eu continuo regurgitando
felicidade é o meio de transporte que me faz chegar até você
a cidade está debruçando sobre mim
janelas são como bocas que me dizem que não sou capaz
os espelhos recriam meu sentimento de lucidez
me transfigura
desagrado

tem um quadro azul que está derretendo
ao mesmo tempo provoco a imaginação da estrada me penetrando
profundo
calmo
movimentos repetitivos
ainda há penetração
a estrada está me envolvendo
provoco-lhe
chegamos ao êxtase
até amanhã.




algo além da passagem

o eterno e o fugaz
a substância percorre minhas veias
chego ao apice com sensação de estrago
entendo
sobreponho
facilito a perca
teu amor entra em mim e se desfaz
me desfaz
como os as ondas que despedaçam as pedras
aumento o processo
rápido

pego sua mão e te levo a minha morte
pego sua mão e te busco do meu nascimento
busco e te levo
uma hora irei lhe soltar
imagino o teu voo livre
desfecho

minha cabeça vaga na confusão
a liberdade levou meu coração embora
nos encontramos e equilibramos
caminhos apostos
devolveu meu coração
te vejo dormir.


domingo, julho 27

Benjamim e sua pequena flor, Calêndula.

Uma mala e três passos sem sentido
Avisto um lugar de encontros e despedidas
Passagem em minha mão
Vejo a morte
Adeus
Felicidade
Melancolia
Paixão
Perigo
Tudo dentro de minhas mãos possuindo meus dedos.


O abrigo desconhecido
Um abraço e suplico-me
A morte acontecera
Minha alma morre e renasce
Nos teus ombros cheios de luz
Parentes
Parenteses.

Deixei de ser eu quando conheci nós
Nós
Porque dentro deles e de nós
Enrolamos.

Não teve um aviso
Não havia uma lousa negra para o recado da manhã anterior
Foram apenas teus olhos
Eles me descreviam
Pintaram nossa paisagem
Cheio de azul
Azul como o céu do passeio na Barra
E como o sol que tocava teu corpo
Delírio.

Nossa pequena embarcação
Velejamos juntos
Marujos não se despedem
Apenas
Dizem
Até breve meu amor.



segunda-feira, julho 7

segunda, terceira, quarta.

As ruas vão passando
Os faróis vão refletindo nos teus olhos
eu seguro na sua mão e danço
danço na eternidade
você não me solta
e eu não paro
as pessoas vão passando
a corrente está formanda
forma uma linha
um rio
que percorre meu corpo inteiro
sereno
sem tempestades
expresso em teu toque
marcado pelo toque
como a água vai tocando nas pedras
teu suor vai tocando meu interior
mente convulsiva
quero a proteção no vão entre o braço e o abraço.





marca e origem

ela estava alí na minha frente
estilhaçada
como se seu corpo fosse um copo de vidro
e quando eu joguei ele na parede todos os traços vieram contra mim
me cortaram
entraram
invadiram
invadiram-me como teus gritos invadem a minha mente
sua voz entre minhas conexões mentais

assim está marcado o efeito que você causa
teu tesão
teus suspiros
estão como cicatrizes
podem ver
eles enxergam
você não teme
você foge
te sugo.



quarta-feira, junho 4

Esquina

Em um dos passos que eu dou eu vejo teu rosto em cada esquina, em corpos estranhos de almas subliminares, eu enxergo você talvez no corpo mais absurdo no qual pode ter se deitado e compartilhado tudo com o desconhecido, sem eu saber. Desta vez eu vou embora, não é ela, nem seus braços cansados, não há mais sentido. Como sempre tudo muito fugaz, a estrela se foi, seu brilho ficou, como seu poema no meu caderno de poemas, porque seus dedos pareciam que tinham o caminho certo, já estava tudo traçado, tudo calculado, as diretrizes, tuas zonas, ainda há um mapa pela frente, cada cidade, cada beco que você precisa descobrir dentro de mim. Nunca achei que você fosse ficar neste ensaio, pois nas minhas peças os personagens são efêmeros e teus olhos já me descreviam isso.

terça-feira, maio 27

ansiedades

Queria entender porque em uma noite você se esparramou em mim, minha pele delirava e agonizava de magia, aquela garota deixou seu olhar nu, aqui, na minha cabeceira, seus traços ficaram na minha parede ocular, pontes caídas do seu sorriso pela metade.  Dois copos sujos embaixo da cama, lá ficaram suas desculpas junto com uma marca de batom vermelho, dois dias se passaram. Tudo seria tão efêmero, como todas as vezes, só que ficaram muitas marcas comigo, tuas marcas, nossas origens, até seu trago ficou preso na minha cabeça e isso me chapava durante os dias inteiros. Transbordou, suas mãos paralelas, uma outra a noite, a ansiedade fazia um linha tênue entre nossos corpos, colapso, vou morrer aqui e ninguém vai saber, apenas você, que vai continuar seguindo os dias destruídos.
Vem comigo, fique, absorva-me.
Aperte minha mão.

terça-feira, maio 6

Fluxo

Uma ponte caída, um dos olhos estavam tampados, assim dificultava o meu olhar em direção a sua ponte caída, quase turva, quase lúcido, tão fugaz. Era um toque com olhos pretos, um olhar com teus dedos e eu nem sabia o que estava fazendo naquele momento.
Seu movimento vem apenas com flashes, pequena flor de lótus que me transcendeu na sexta-feira, ela foi subcutânea, intravenosa e adormeceu, não senti mais  nada. Ela foi embora e fui viver mais um dia vagabundo, o perfume de flor de laranjeira até ficou uns dias no meu colchão, mas assim como ela o perfume se foi.

domingo, maio 4

Sapato velho

Deixe seu par aqui comigo
Seu par de olhos,
olhos inocentes que me machucam e me guardam

Deixe seu par
Par de braços para que nos dias frios eu possa me aquecer
Não quero você
Quero apenas seu par

Apenas eu
o seu par

Todo amor precisa de dois corações
Toda valsa precisa de duas mãos se encaixando
Assim como a minha encaixava com a sua, naquele baile de aniversário da sua tia avó em julho

Como o julho precisa do frio
E no frio eu preciso de você
No calor
No inferno


Porque meu par só faz dupla com o teu
E juntos...
só eu e você.

domingo, abril 27

Esperamos a espera.

Havia esquecido o que ela queria, afinal seus olhos smpere me faziam esquecer de quase tudo. Espero não ter misturado e ter colocado alguns ingredientes em sua receita, apenas alterei o tempo de preparo, um pouco mais longo, lembro de longos, longos cabelos que encostam em meus ombros e me fazem pensar quem sou, e porque os fios de cabelo dela encostam em mim. Minha mente flutua no pensamento, no pensamento dela, perguntando-me por que esperamos tanto? No nossos cafés de pelo meio da semana ela sempre toca no assunto de -  esperar - e enquanto ela pensa em esperar, eu só imagino como seriam minhas semanas sem esses nossos cafés, é até engraçado porque eu também - espero - esse dia chegar, então flutuo no pensamento dela porque é mesmo que o meu? Queria poder pensar diferente, mas a direção dela é a mesma que minha, não consigo ser divergente, me dê a mão e vamos voando juntos...
A cada que dia que eu acordo, observando como ela coça o olhos minutos antes de acordar, a cada dia desse eu recebo uma luz, ou seja desde que a conheço sou iluminado, seus dedos me encobrem da escuridão, e assim fico tranquilo, mesmo quando ela sai da cama para fazer nosso café fico pensando que ela pode não voltar mais e vou ficar sem o café e sem ela... Só que isso nunca aconteceu, ela sempre volta com as nossas xícaras, aquelas mesmas que decoramos cheio de desenhos e frases enquanto estávamos chapados.

domingo, março 30

alguma direção

trace um plano astral
eu te pergunto
vamos viajar cosmidamente?
deixo os meus olhos gravando o filme
pra depois eu editar nas minhas noites mal dormidas
Me trague
Para depois eu te tragar
Tragando tudo ao mesmo tempo
Transgredimos
Transcendemos
in
transe

sexta-feira, março 28

A menos que...

Ameno
Assim como seus olhos
Pequenos
Menina
Não deixe o mundo te levar
Fique um pouco mais
Há tantos chás esperando
Um encanto
Continue.

quarta-feira, fevereiro 26

Pode ir

vai
vai abrindo uns caminhos
pegando pessoas pra caminhos diferentes                                       
se destrua em 3
3 pequenos pedaços de merda
tratores passam em cima de nós
com alguem gritando
por um mundo melhor
voce quer trepar
ela quer fazer amor
ele quer apenas um beijo
ela dá o corpo todo
e a gente vai vivendo assim
o velhinho chinga de vagabunda
e tem seus direitos na cama do hospital
e quam trata ele é a vagabunda
a fruta amassada da feira
tadinha
conspiramos
corremos
o mundo
o mundo corre mais que a gente

terça-feira, fevereiro 25

quarta-feira


eu vim aqui pra testar você
dei a volta, meia volta, para lhe dizer
a vontade é como um sopro
vai embora
e eu sou como o vento
uma brisa
e já fui
passou
te deixei com frio
e te aqueci ao mesmo tempo
na rapidez
na minha própria velocidade
foi um encaixe perfeito
como já foram todas as noites
a loucura vai voltar
junto comigo
mas não sei quando
adeus novamente.

quarta-feira, janeiro 15

No canto

Cada
Qual
Em
Seu 
Tempo

A marca dos pés descalços na grama tem seu tempo
A fumaça do café vai embora em seu tempo
Ela quer ficar um pouco mais
Segure-a
Abafe-a dentro da xícara
Você quer

Você quer um ombro de luz
Um aperto no final do dia
Sobras de emoção
Encanto
Me encante
Me encantando

Apenas cante.


segunda-feira, junho 24

ortodoxo das 23.

espero não ter ter acordado
nem ao menos incomodado
talvez no comodo ao lado
você ficou
e nunca mais saiu

não teve nota
nenhum lá
só ficou o dó
dó dos pequenos dedos
aqueles mesmos
que passavam fio a fio
em um mar de desespero e afeto

foi um trago
uma puxada
apenas isto
jogou no universo paralelo


imagina
se fosse
um
baseado
inteiro

eu me despedaçaria.


terça-feira, maio 7

Creep

Eu não sei se vai embora
Um dia

Ninguém sabe o que é eternidade
Porém ela pode ser um domingo
A eternidade de uma xícara de café
Ou a eternidade da fumaça que nós fazemos no mesmo cigarro
A eternidade da estrada
Que liga cidades
De pessoas do mesmo quintal

Por que as cidades são longes umas das outras?
Ou a passagem deveria ser mais barata

As vezes a gente se sente uma merda né
Como diz uma letra de música da banda mais careta da Inglaterra
"i wanna have control, i wanna perfect body, i wanna perfect soul"
Você tem
Eu sei
Eu vejo

Mas
Nós temos o controle?

Vamos
ter
mais uma noite

sentir
a alma


Ou eu talvez pudesse ouvir menos Radiohead









domingo, abril 28

fruto fugaz


calmo e leve como um desespero
assim suave
vem a mim
entrando pela minha boca
ele me almeja
grita
dentro do meu corpo
grita
fique comigo
medo
venha
me encontre


cada vez mais me aperta
vou me despedaçar em seus ensaios
ensaios para mim

custura a corda em meu cérebro
sem conexão
não tivemos